resgatados por cristo
unidos pelo amor
edificados pela palavra

(47) 3028-7193

secretaria@resgatte.org

Rua Afonso Pena, 572

Bucarein, Joinville, 89202-430

  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

@2017 - Igreja Cristã Bíblica Resgatte

No amor de Jesus

 

Era uma vez, em um reino não muito distante, um cidadão assentado numa colina de onde dava para ver todas as coisas. Enxergando o castelo do seu Rei, se perguntou: porque vivo e faço as coisas para meu Rei e seu Reino?

 

Como este cidadão, volta e meia nos damos conta de que a nossa vida cristã se transformou em apenas um cumprir de tarefas e uma agenda cheia de compromissos. Constantemente somos jogados à uma “máquina” de produção onde os resultados definem o valor e a importância das pessoas.

 

Esse tem sido um problema constante em nosso meio, com o qual lidamos diariamente, a ponto de afetar de forma emocional as pessoas.

 

Sempre que falamos sobre vocação, no final do discurso, fica a sensação de que vocação é igual à produção. Então as pessoas rapidamente começam a planejar coisas para fazer e ações nas quais se engajar pois, dessa forma, estarão cumprindo sua vocação.

 

Relendo o momento da historia entre Jesus e Pedro em João 21:15-17, compreendo que somos levados a focar no chamado que Jesus faz três vezes a Pedro de “Apascenta as minhas ovelhas” como se essa fosse a essência da nossa vocação.

 

Quando, na realidade, a nossa vocação está inteiramente ligada ainda que de maneira limitada, ao nosso afeto tanto em palavras quanto em ação por Jesus e tudo aquilo que Ele ama. É muito interessante ver que a palavra amor, que tanto Jesus como Pedro utilizam nesse texto, tem uma conotação diferente.

 

Jesus, ao perguntar “Simão, filho de Jonas, amas-me”, está utilizando a palavra ágape, que se refere a um amor; ilimitado, sem reservas, sem defeito. É o que comumente denominamos de amor Divino. Porém a resposta de Pedro foi “Simão entristeceu-se por lhe ter dito pela terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo”. A palavra utilizada aqui por Pedro é diferente da usada por Jesus “ágape”. A palavra usada é filhos, que tem como conotação um amor; fraco, limitado, por muitas vezes vacilante.

 

Nesse contexto, entendemos que a verdadeira vocação tem a ver, em primeira instância, em amar a Jesus, ainda que isso seja de forma limitada, pois somos humanos e demasiadamente humanos. Só quando amarmos Jesus, no dia a dia, nos acertos e nos erros, poderemos cumprir nosso chamado de amarmos as suas ovelhas, ou seja, entendendo isto como tudo aquilo que Ele nos convida a fazer.

 

O nosso chamado tem a ver com a nossa ação concreta e vocação com aquele amor que motiva nossa vida pelo amor e para o amor, que é Jesus. Tudo começa e finaliza nEle, tanto a vocação, quanto o chamado.

 

A nossa vocação é, sobretudo, amarmos a Jesus eternamente, pois Ele é o nosso eterno amor. E o nosso chamado é para amarmos a tudo aquilo que Deus amou – o mundo!

 

Permaneçamos na nossa vocação, no amor de Jesus.

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Posts Recentes

February 8, 2019

January 30, 2019

December 11, 2018

December 4, 2018

November 20, 2018

October 30, 2018

October 26, 2018

October 17, 2018

October 10, 2018

October 3, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square