O dia chegará, e para onde iremos?

Vivemos dias em que pouco se pensa sobre a morte. Ela nada mais é do que um meio, uma forma de passagem desta vida terrena e passageira, para a verdadeira vida. A dizer “a vida eterna”. É claro que, a sociedade em todos os momentos quer tirar o foco, deste que é em ultima estância o fim do todo ser vivente, a menos é claro, para aqueles que forem levados com Cristo no dia do arrebatamento. É importante celebrar a vida. Ela deve ser vivida com dignidade e intensamente, pois é um dom gratuito e maravilhoso que Deus nos concede.

Mas a questão central de nossa existência, não esta focada na morte, mas sim em como vivemos esta vida passageira, e acima de tudo como chegamos ao ponto final dela, ou seja, como nos apresentaremos diante do Criador. Ecl 7:2 Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque ali se vê o fim de todos os homens; e os vivos o aplicam ao seu coração. Ecl 7:3 Melhor é a tristeza do que o riso, porque com a tristeza do rosto se faz melhor o coração. Ecl 7:4 O coração dos sábios está na casa do luto, mas o coração dos tolos, na casa da alegria. No livro de Eclesiastes, no capítulo 7 mais precisamente, o escritor nos mostra que muita gente evita pensar na morte. Não quer enfrentá-la e está até mesmo relutante a participar de funerais. O escritor não nos está pedindo a que pensemos morbidamente, mas sim, que sabe que às vezes é útil pensar na morte. Recorda-nos que ainda há tempo para mudar nosso foco de existência, tempo para examinar a direção de nossa vida e tempo para confessar nossos pecados e para receber o perdão de Deus. No evangelho de João capítulo 14 versos de 01 a 04, Jesus conforta os discípulos a respeito da morte, ou como gosto de dizer: a passagem. João 14:1 ro Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. João 14:2 Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. João 14:3 E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também. João 14:4 Mesmo vós sabeis para onde vou e conheceis o caminho. Neste texto o próprio Jesus nos lembra que ele mesmo passou pela morte. Ele que foi de encontro ao Pai para nos preparar lugar, e que para isto apenas é necessário que estejamos nele, pois como está escrito no verso 4 “vós sabeis para onde vou e conheceis o caminho”

A escritura nos dá a resposta através das palavras de Cristo: João_14: 6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim. Portanto, amados, creio que, como já dito antes, a morte é apenas uma passagem. Arrisco-me a afirmar que é o final de uma caminhada onde somos provados, ou melhor, refinados pelo fogo, para que ao final da caminhada venhamos a nos encontrar aprovados perante o Senhor Deus.

Olhando por este prisma, chegamos à conclusão inevitável de que a morte nunca foi importante para nós e muito menos para o nosso Deus, mas sim, a caminhada que percorremos, e como percorremos. Ela sim que fará a diferença, porque a escritura nos diz em apocalipse 14:13 “E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os sigam” O que fica neste mundo serão apenas lembranças. Lembranças de como vivemos nossa vida, daquilo que fizemos ou o que deixamos de fazer.

Ficam então algumas perguntas latentes em minha mente: Como tenho vivido? Como serei lembrado? Como esta a minha comunhão com Deus? Valeu a pena o sacrifício de Cristo por mim na cruz? Portanto queridos, lembremo-nos que há uma viva esperança na promessa de Deus para nós. Chegará o dia em que não mais existirá choro nem lágrima, nem pranto, nem clamor, nem dor... apocalipse 21:4, mas para que isto seja real, é necessário que voltemos para Deus, “o eterno”. As escrituras nos advertem em Deuteronômio 30:19: “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente” Em quanto a tempo e ainda podemos achar, pois chegará o dia em que o tempo terá se esvaído e ninguém mais achará a Deus. Lembre-se do sacrifício de Jesus Cristo por você, e faça valer à pena!


Posts Recentes
Arquivo